domingo, 18 de junho de 2017

 Eu tenho a impressão de que com as férias vou conseguir escrever mais. Ao meu ver isso não é algo tão bom porque significa que eu não vou ter quase nada pra fazer nesse período, e isso me causa uma angustia enorme. É horrível saber que não vou ter aula, nem tanto contato com as amigas da faculdade, e ainda não vou poder ir pra casa por ter que trabalhar. É, ainda não superei aquele assunto de me sentir sozinha.
 Mas agora falando de superações, tenho adorado minhas ultimas semanas. Consegui fechar em todas as matérias com sucesso. Meu relatório de estagio que deve ser entregue amanhã foi terminado hoje as 21 horas e alguns minutos, mas o importante é que deu tudo certo! Meu estagio na instituição de atendimento infantil terminou semana retrasada, mas a psicologa autorizou que eu e minha dupla comparecêssemos no próximo acompanhamento. Nós nos envolvemos muito com isso, e é muito doloroso saber que não podemos continuar. Concluindo, a vida acadêmica tá mara, a profissional também. 
 Algo que tem me afeto nessas ultimas semanas é a questão da saúde. Desde quando me mudei tenho uma péssima alimentação e uma rotina muito corrida, e isso fez com que minha imunidade se jogasse lá em baixo. Consequentemente, estou descobrindo alguns problemas que a baixa imanidade me causou. Mas acredito que com a calma das férias, as consultas médicas, exames e medicações vai ficar tudo bem. Eu juro que vou me esforçar pra isso. Na real, nunca esculachei tanto com minha saúde como dessa vez. Em breve pretendo escrever que minha saúde está ótima e que nada sério aconteceu.
 Agora tenho que ir dormir (ficar sem dormir, ou dormir poucas horas faz muito mal. Experiencia própria aushauhsuahs), mas antes vou tomar um banho e arrumar toda bagunça que deixe espalhada pelos cômodos da casa.
 Boa noite, hoje estou passando por aqui especialmente pra contar sobre alguém que, em poucas vezes fez com que sua presença se tornasse significativa, de algum modo.
 A noite em que te conheci acabou se tornando inesquecível, não porque te conheci, mas sim porque era uma festa onde aconteceria o show mais importante do ano, pra mim. Então não achei que te conhecer naquela noite foi algo tão importante, na verdade meu foco passava longe de você. Enfim, depois disso nos encontramos uma outra vez, e por mais que eu tenha gostado, ainda não achava tão relevante atribuir algum significado pra você na minha vida.
 Então, tudo que teve maior relevância começou exatamente na época do carnaval. E que Carnaval!  Eu que nunca gostei desse tipo de evento adorei a primeira vez, e sempre agradeço por tudo o que aconteceu nesse período. Você fez com que eu me sentisse especialmente única, em uma festa/época onde ser solteiro é a melhor opção. Não que não estivéssemos solteiros (ainda estamos), mas suas atitudes demonstravam exatamente um tipo de atenção que eu achava especial. E então fluiu. A primeira vez em que fui pra sua casa, estava crente de que não voltaria. Mas voltei. Nosso carnaval durou um curto período de tempo, porém foi o suficiente pra dizer que foram momentos significativos. 
 Depois disso, confesso que esperava mais de você, mas sinto que compreendo os motivos de cada comportamento seu quando começamos a nos ver diariamente. Eu mesma evito/evitava passar perto de você, pra não ter que dizer "oi". Inúmeras vezes desviei caminhos e fingi não te ver, assim como apagar seu telefone, e ocultar sua publicações nas redes sociais, isso costuma ser meu método de defesa pra evitar maiores frustrações ou algum tipo de reaproximação. 
 Na ultima vez que nos encontramos "por acaso", não imaginei que algo poderia acontecer, na verdade eu nem tinha mais interesse nenhum (meus métodos funcionam uahsuahs). E então de uma conversa, situações inesperadas (pelo menos pra mim) aconteceram, e mais uma vez estávamos praticando a arte da loucura juntos. Eu me considero bem louca, porém acho que sou consciente, já você eu considero louco e inconsequente. E não é que isso seja algo admirável (pois não é mesmo), mas consigo ver que além disso existe alguém que talvez precise de um pouco de apoio e direção, e como qualquer outra pessoa você também tem seus lados bons. 
Sinto uma pena por não poder contar tudo o que vivemos, e por não expressar tudo o que senti, mas acho que talvez seria perda de tempo dar tanta enfase em você. Não quero dizer que eu não gostaria de fazer isso, na verdade eu gostaria muito, mas não sei se seria tão válido expressar tudo isso.
 Quanto ao futuro, continuo não esperando tantas coisas de você. Não queria ter que acreditar e nem criar esperanças com as ultimas coisas que ouvi da sua boca. Mas como nessa terra só a tentação e a esperança são imortais, escondo minha esperança dizendo que só acredito em você quando ver tudo acontecendo. E por mais que esse textinho pareça tão insignificante, hoje posso dizer que você tem um grande significado, embora eu prefira que você não saiba disso.