domingo, 30 de julho de 2017

Sobre estar triste

 "Dia 28 de Julho completou seis meses da minha nova rotina de "vida adulta". Hoje é dia 30, um domingo. Agora são exatamente 21:56. Acabei de subir no onibus para voltar pra Taquaritinga, e como de costume me despedi da minha familia com os olhos cheio de lagrimas, e quando entrei no onibus não consegui disfarçar o sentimento de tristeza. Completaram-se seis meses de idas e vindas aos fins de semana, e eu ainda não consigo aceitar o fato de que na segunda feira vou acordar sem a voz das minhas irmãs no quarto. Todo domingo que entro no onibus, eu sinto que um pedaço de mim fica fora dele, e o outro pedaço sobe se arrastando enquanto implora pra ficar. Eu sei que são só mais cinco dias pra que eu possa voltar, e são só 20 ou 30 minitos de viajem, mas a questão é que ainda é muito dificil ficar longe das pessoas que eu mais amo nesse mundo. É muito ruim passar um fim de semana maravilhoso ao lado dos amigos e da familia, fazendo tudo o que eu mais gosto de fazer, e saber que no outro dia não vai ter ninguem por perto pra extender minha felicidade."

terça-feira, 18 de julho de 2017

 Estava procurando alguns artigos científicos sobre cocaína e acabaram aparecendo alguns textos e matérias sobre o uso de cocaína por Sigmund Freud, li que o maravilhoso se sujeitou a pesquisar os efeitos da cocaína e fez isso sendo o próprio sujeito da pesquisa. Achei bem louco.
 Não tenho nada contra cocaína, alias, acho ela incrível. Porém é preocupante quando olho ao meu redor e vejo que alem do uso, pessoas escolhem usar cocaína ao invés de fazer QUALQUER outra coisa. Ainda me lembro de quando comecei a assistir Narcos (amei a série), e de um dos primeiros episódios em que tem a seguinte frase: "A cocaína domina um centro de prazer no cérebro. Um rato escolhe a cocaína ao invés de comida e água. Ele escolheria cocaína ao invés de uma noite de sono, do sexo, ou ao invés da própria vida. O cérebro de um humano não é igual ao de um roedor. A menos que estejamos falando de cocaína." eu achei essa frase tocante, e nunca vou me esquecer dela. Inclusive hoje em uma palestra sobre drogas no trabalho, uma dependente química que deu seu depoimento se comparou com um rato nos momentos em que estava viciada em cocaína e crack.  Acho importante deixar claro que não sou uma fanática por drogas, porém é um dos meus assuntos preferidos, e eu sempre acabo inconscientemente me aproximando de pessoas que usam drogas. Acho que é uma parada inconsciente, que a gente não escolhe. Não tenho duvidas de que tenho pé preso com isso desde a minha vida intra uterina. É claro que ninguém gosta de conviver/se apaixonar/se relacionar/ter muito contato com pessoas que usam drogas. Mas é como se alguma coisa sempre me puxasse pra fazer isso. Não julgo quem usa drogas. Dependendo da droga e da frequência, é claro.
 É mais que normal experimentar drogas quando começamos a entrar na adolescência/juventude. Não acho isso o fim do mundo. Mas acho que quando começamos a usar a drogas pra fugir de algo/alguém, na intenção de não encarar a realidade, é preocupante tanto quanto pensar que só a droga pode trazer o prazer, paz ou diversão. 
 Eu sempre digo que droga não é algo ruim, porque se fosse realmente ruim ninguém usaria.  Mas quando paramos pra ver e ouvir um usuário de crack, por exemplo, dizemos que aquilo é a pior coisa do mundo. Eu acredito que a partir do momento que usamos a droga para "resolver" qualquer situação, podemos fazer isso com cada vez mais frequência e então perder o controle.
 Boa tarde, desde o inicio das férias da faculdade estou trabalhando das 7 da manhã as 2 horas da tarde. É ruim acordar tão cedo, principalmente por conta do frio, mas também é ótimo chegar em casa tão cedo. Estou fazendo esse horário para aprender novas atividades do meu setor, das quais vou ficar responsável daqui a algum tempo.
 Tenho me sentido mais emotiva que o normal. Acho que é porque já estou no segundo mês sem tomar meu antigo anticoncepcional. Quem não toma essa pilula rotineiramente não faz ideia do quanto a abstinência dela é horrível; Me sinto dez vezes mais vulnerável e emotiva, sem contar as espinhas que estão nascendo em todo meu corpo. Tive que dar essa pausa pra poder começar a tomar um outro anticoncepcional, que minha gine me indicou por conta dos ovários policísticos. Não é nada grave, mas o novo remédio vai ajudar mais que o antigo.
 Minhas férias da faculdade não estão sendo tão péssimas quanto eu imaginei que seria. Comecei o segundo livro, estou assistindo "Avatar - A Lenda de Aang" pela terceira vez, e alguns filmes. Um dia desses fui caminhar com uma amiga, e no fim de semana reencontro meus amigos de Jaboticabal, e tudo tem sido ótimo, tenho conhecido novas pessoas, e feito novas amizades. Espero que tudo continue assim até o fim das férias. Estou ansiosa pra recomeçar a correria e preocupação da faculdade, alias, minhas matérias desse próximo semestre serão muito interessantes.
 Hoje fiquei o dia todo sem entrar nas redes sociais, e pretendo continuar assim até amanhã. Ontem estava bem triste, então decidi ter um tempo de paz, só pra mim. Meus  Whatsapp está sinalizando 176 mensagens, e eu não sinto a menor vontade de ver nenhuma delas. Não estou me sentindo triste por algo especifico que tenha acontecido. É normal me sentir triste as vezes. 
 Esse fim de semana foi aniversário da minha cidade, e eu estava na festa as três noites do fim de semana. Foi tudo bem surpreendente. Algumas coisas assustadoras. Mas continuo viva! A maioria dos fins de semana tem sido bons. Sempre volto pra casa depois das cinco da manhã. Temos ido bastante a cidade dos crush's, Monte Alto, e os amigos que tenho conhecido lá são ótimos até agora.  Acho que me desprendi de varias pessoas, e agora estou aplicada em me desprender de varias coisas, e isso é bom.
 Sobre o que está faltando: preciso de mais espiritualidade, e paz interior. Não que eu não tenha, mas sinto uma necessidade maior disso. 
 Aqui na pensão tenho feito bastante amizade com as meninas, inclusive hoje, eu e uma outra vamos (tentar) fazer um chá de maracujá. Porém, ainda me sinto extremamente sozinha quanto estou aqui. É como se minha companhia não bastasse, e isso também precisa ser mudado.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Observações:


  • Sou uma pessoa completamento chorona. Choro por qualquer e todo motivo. Não acho que isso seja algo ruim, na verdade acho maravilhosa essa explosão de sentimentos, isso faz com que eu me sinta mais humana. e uma verdadeira pamonha. E quando eu me seguro ao máximo pra não chorar, é muito perceptível. O choro realmente é algo que eu não sei esconder, nem guardar pra depois. Quando falo que choro por todo e qualquer motivo, é real. Desde chorar por brigar com alguém que amo, até chorar porque minha irmã disse que meu cabelo é oleoso, ou porque alguém gritou comigo. 

  • Eu me sinto muito segura quando planejo as coisas e sigo roteiros que eu mesma criei. Mas eu adoro surpresas. Adoro quando aparece aquilo, ou aquele, que não estava nos meus planos.

  • Em dias de ansiedade sinto meu coração acelerado, como se eu estivesse correndo ou acabado de levar um susto. Isso acontece varias vezes durante o dia e tem dias que isso me preocupa de verdade,  pois parece que meu coração vai saltar pra fora do corpo de tão rápido que bate. Chego a me sentir sem ar. Minha ansiedade (nunca imaginei que eu teria ansiedade ou fosse uma pessoa tão ansiosa assim) também é perceptível externamente. Sempre que sofro por ela, trato logo de colocar qualquer coisa (dedo, unha, caneta, copo, celular) entre os dentes, pra ficar mordendo até sentir dor. 

  • Acho que tenho vários machucados na cabeça que são resultados da minha mania de ficar coçando a cabeça até ver sangue nas minhas unhas. As vezes acho que isso é preocupante.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

 Comecei a perceber como é real o fato de que toda vez que conhecemos alguém, dizemos que: "É ELE!". E então parei pra lembrar de todos os rapazes por quem eu já me apaixonei e achei que seria o amor da minha vida.

 1°- O amor de infância. Nos conhecemos no ensino fundamental, aquela época em que a gente começa sair da infância para entrar na adolescência. Nunca nos beijamos, apenas trocávamos olhares e cartinhas. Na verdade nunca  nos beijamos porque eu morria de medo de beijar ele, e ele vivia zombando de mim por isso. Enfim, era um sentimento bom, e eu já sonhava acordada com tudo aquilo.
 2°- O primeiro namoradinho, o primeiro beijo. Naquela época eu nem sabia o que tava sentindo, só sabia que beijar era ótimo,  e tudo aquilo era lindo. Achei que tivesse encontrado meu futuro namorado. Até que ele inventou uma desculpa pra que não ficássemos mais (levei um pé logo aos 13), e eu fiquei muuuito na bad. Minha primeira bad! Hoje nós somos amigos, e toda essa história é muito engraçada pra todos ao nosso redor.
 3°- Dessa vez eu realmente me sentia apaixonada! Esse eu tinha total certeza que seria o amor da minha vida. Ele era lindo (aos meus olhos), estiloso, e popular. Ele sempre me levava pra casa depois da escola. Nós quase não trocávamos uma palavra se quer, mas eu sentia meu peito pulando pra fora do corpo quando estávamos juntos. Até que o tempo foi passando eu descobri que tudo nem era tão lindo assim. Porém, depois de um bom tempo ainda nos reencontramos algumas vezes, mas eu realmente percebi que não, ele passava longe de ser o amor da minha vida! Hoje nem conversamos mais, e da ultima vez que tivemos oportunidade eu fui bem direta sobre o quanto não queria nenhum tipo de reaproximação aushuahsuahs sim, isso foi bem engraçado.
 4°- Meu primeiro namorado, real e oficial. Na verdade não era pra namorarmos. Tudo aconteceu bem rápido, e eu não fazia ideia do que estava fazendo, e nem do que estava acontecendo. Eu gostava muito dele, pelo menos eu acha que gostava. Ainda não pensava nesses papos de futuro nem nada parecido, até porque já era barra conseguir pensar naquela situação do presente. Mas enfim, eu ainda tinha 15 anos, e não sabia me conduzir, e muito menos conduzir um relacionamento, então quando olho pra trás só consigo enxergar  um emaranhado de novos sentimentos e situações embaraçosas. É claro que não aconteceram só coisas ruins, também agradeço por tudo que aprendi nesse relacionamento. Compreendo e agradeço também por não ter dado certo, todo aquele sofrimento me fez muito mal no começo, e no final fez muito mal pra ele. Hoje até tentamos manter uma relação de amizade por conta de nossos amigos em comum, mas não acho que seja uma relação saudável de se manter.
 5º- Não foi uma das minhas maiores paixões, porem, eu gostava dele. O que tornou diferente é que ele gostava bem mais de mim, do que eu dele. É outra pessoa por quem eu sou realmente agradecida por ter me proporcionado momentos lindos e insubstituíveis. Lamento por tê-lo magoado, mas não ia conseguir fingir nenhum tipo de sentimento que eu realmente não sentisse. Ainda lembro de todas as nossas conversas, e de todos os momentos (bons e ruins) que vivemos. Acho uma pena não termos mais contato, mas acho que foi bem melhor assim. 
 6°- Meu segundo namoro real e oficial. Eu lembro que tudo aconteceu tão rápido, que dá pra considerar uma completa loucura tudo o que fizemos e vivemos em tão pouco tempo. Namoramos em casa e, em questão de pessoas, fi cm quem eu criei um maior vinculo afetivo, pois chegamos a reunir nossas famílias, passar natal e ano novo juntos, e até ter uma vidinha de casados por poucos dias. Acho que por conta de todo esse envolvimento afetivo e emocional, dessa vez eu tava realmente certa sobre o que queria do lado de alguém. Durante todo o tempo em que ficamos juntos, tudo foi extremamente maravilhoso, nossa relação era incrível! Porém, nem tudo é como a gente quer, e no ultimo mês de namoro tivemos nossas primeiras e já ultimas brigas. Confesso que em termos de relacionamento, esse com toda certeza foi o que eu realmente sofri durante o termino.
 7°- Depois do segundo namoro eu não queria saber de relacionamentos então, encontrei a pessoa perfeita pra viver isso comigo. Nunca envolvemos muito sentimento entre nós, mas todas as vezes em que estivemos juntos ele foi uma pessoa bem firmeza. Na verdade nossa relação era mais casual, e dar rolês. E nossas conversas (conversamos de vez em quando), são bem cabeças. Sempre conversamos sobre a vida, sobre trabalho, profissões, sobre dias difíceis e como leva-los. Ele é uma pessoa da qual eu gosto e considero bastante. É, alguns acabam virando boas amizades.
 8°- É mais fácil falar de situações antigas ao invés das recentes, mas enfim. Em questões de sentimentos esse foi o ultimo em que rolou alguma coisa. Acho que nada tão devastador e maravilhoso, mas era bom. Na verdade era muito bom, qualquer coisa que envolva sentimento pra mim, é algo bom. Foi uma relação aberta, e eu me surpreendi com isso, pois achava que nunca ia conseguir fazer isso, mesmo sendo por tão pouco tempo. Não tínhamos nenhum tipo de compromisso, e pela primeira vez eu não estava tão preocupada com isso. Ele me deixou muitas lembranças, e a maioria delas são maravilhosas. Não dá pra lembrar de alguns lugares, palavras e musicas sem lembrar dele. Tudo maravilhoso né? Claro que não!! Nunca conhecemos totalmente uma pessoa, e quando conhecemos alguma coisa, isso muda rapidamente. Eu compreendo perfeitamente que as pessoas mudam constantemente, é um processo natural do ser humano. Brigamos algumas vezes, e em todas elas, depois da raiva eu me sentia triste e preocupada. Mas devagar fui percebendo que nem tudo vale apena manter por perto (pode ser que eu também mude de ideia). Mas também agradeço por cada momento que passamos juntos, são insubstituíveis e, muito importantes.
 9°-  Essa pessoa não tem muitos motivos pra estar nessa lista, mas as poucas vezes em que estivemos juntos eu também agradeço. Apesar do pouquíssimo contato, é uma pessoa legal, que eu gostava muito de ter por perto. E eu super considero como uma "paixãozinha".
 10°- Essas paixões passageiras chegam a ser engraçadas. Nós nos conhecemos bem rápido, e se tratando de loucura, em todas as vezes que estivemos juntos ela estava junto de nós. Dessa vez eu já não me importava com quase nada. Mas por mais que eu siga o lema "só vamo", eu sempre dou um jeitinho de meter uma gota de sentimento em tudo, em um abraço ou carinho qualquer. E acho que posso ter desperdiçado mais algumas gotas com esse. Ah! Que mal faz?! Eu até faria isso outra vez. No final sempre ficam as lembranças dos melhores momentos.

 Com o tempo esse negocio de sentimento e pessoa perfeita vai sendo deixado de lado, e posso dizer que depois do meu segundo namoro eu passei a fazer mais a minha vontade, guardar o sentimento pra coisas realmente importantes, e principalmente saber parar quando quiser parar. O engraçado é olhar pra trás e ver que isso não acaba aqui. Ainda aparecerão pessoas e pessoas que vão entrar e talvez sair da minha vida sem intenções, sem que eu espere...
"Menino me dê sua mão 
Sempre me teve aqui
Mas se não quiser ficar aqui comigo então pode ir,
Tu sabe que o mundo é cheio de voltas
E eu sempre fui só confusão 
Vem senta e toma um chá 
Mas se não quiser,
Que o tempo mostre sua direção. 

Se eu soubesse que era assim
Eu nem te ouvia
Beberia um champanhe 
Um vinho já bastaria
Mas tive que parar pra poder te escutar
Pra poder te dizer meu amor
Que não dá pra ser mais tua...

E eu posso te dizer bem perto
Olhando dentro dos seus olhos
Você não foi sincero 
E, a vida que eu levo é sinceridade 
Óbvio,
que nunca te quis tão longe de mim
Mas claro que você não estava nem aí pra mim
Então, eu sacrifiquei algo tão forte assim
Esse teu universo
Juro que entendo o seu mundo.

Minha cabeça gira quando olho pra trás 
Cabeça gira, mente gira quando olho pra trás 
O amor é bandeira de paz
Cê ta ligado que eu sempre me mantive em pé 
Vivo procurando encontrar e entender
Menino siga que eu também vou seguir sem você 
Eu tentei eu fiz de tudo pra não chorar outra vez
Eu falei pra mim mesmo enquanto eu tentava outra vez.

Se for embora vai pela manhã,
Eu não quero ver tudo isso outra vez
Cê sabe que o melhor momento de você ficar
É quando ter certeza que quer tentar outra vez.
Se for tentar me acorda de manhã 
Vê se fica aqui e toma um café 
Cê sabe que o melhor começo chega de manhã.

Ei amor, cê sabe que é difícil sem você amor
Mas se não quiser ficar também é sem caô
Eu só queria tanto te falar...

Ei amor e eu que nunca tive nada te dei tanto amor
Então se tu vier tu fica por favor
Tá na hora da gente se encontrar.

Vamos tentar, vem cá 
Distante um do outro nada vai funcionar 
O que temos é tão lindo pra isso acabar
Não existe consequências se você me amar.

(...)"


Emmilly Félix