terça-feira, 18 de julho de 2017

 Estava procurando alguns artigos científicos sobre cocaína e acabaram aparecendo alguns textos e matérias sobre o uso de cocaína por Sigmund Freud, li que o maravilhoso se sujeitou a pesquisar os efeitos da cocaína e fez isso sendo o próprio sujeito da pesquisa. Achei bem louco.
 Não tenho nada contra cocaína, alias, acho ela incrível. Porém é preocupante quando olho ao meu redor e vejo que alem do uso, pessoas escolhem usar cocaína ao invés de fazer QUALQUER outra coisa. Ainda me lembro de quando comecei a assistir Narcos (amei a série), e de um dos primeiros episódios em que tem a seguinte frase: "A cocaína domina um centro de prazer no cérebro. Um rato escolhe a cocaína ao invés de comida e água. Ele escolheria cocaína ao invés de uma noite de sono, do sexo, ou ao invés da própria vida. O cérebro de um humano não é igual ao de um roedor. A menos que estejamos falando de cocaína." eu achei essa frase tocante, e nunca vou me esquecer dela. Inclusive hoje em uma palestra sobre drogas no trabalho, uma dependente química que deu seu depoimento se comparou com um rato nos momentos em que estava viciada em cocaína e crack.  Acho importante deixar claro que não sou uma fanática por drogas, porém é um dos meus assuntos preferidos, e eu sempre acabo inconscientemente me aproximando de pessoas que usam drogas. Acho que é uma parada inconsciente, que a gente não escolhe. Não tenho duvidas de que tenho pé preso com isso desde a minha vida intra uterina. É claro que ninguém gosta de conviver/se apaixonar/se relacionar/ter muito contato com pessoas que usam drogas. Mas é como se alguma coisa sempre me puxasse pra fazer isso. Não julgo quem usa drogas. Dependendo da droga e da frequência, é claro.
 É mais que normal experimentar drogas quando começamos a entrar na adolescência/juventude. Não acho isso o fim do mundo. Mas acho que quando começamos a usar a drogas pra fugir de algo/alguém, na intenção de não encarar a realidade, é preocupante tanto quanto pensar que só a droga pode trazer o prazer, paz ou diversão. 
 Eu sempre digo que droga não é algo ruim, porque se fosse realmente ruim ninguém usaria.  Mas quando paramos pra ver e ouvir um usuário de crack, por exemplo, dizemos que aquilo é a pior coisa do mundo. Eu acredito que a partir do momento que usamos a droga para "resolver" qualquer situação, podemos fazer isso com cada vez mais frequência e então perder o controle.
 Boa tarde, desde o inicio das férias da faculdade estou trabalhando das 7 da manhã as 2 horas da tarde. É ruim acordar tão cedo, principalmente por conta do frio, mas também é ótimo chegar em casa tão cedo. Estou fazendo esse horário para aprender novas atividades do meu setor, das quais vou ficar responsável daqui a algum tempo.
 Tenho me sentido mais emotiva que o normal. Acho que é porque já estou no segundo mês sem tomar meu antigo anticoncepcional. Quem não toma essa pilula rotineiramente não faz ideia do quanto a abstinência dela é horrível; Me sinto dez vezes mais vulnerável e emotiva, sem contar as espinhas que estão nascendo em todo meu corpo. Tive que dar essa pausa pra poder começar a tomar um outro anticoncepcional, que minha gine me indicou por conta dos ovários policísticos. Não é nada grave, mas o novo remédio vai ajudar mais que o antigo.
 Minhas férias da faculdade não estão sendo tão péssimas quanto eu imaginei que seria. Comecei o segundo livro, estou assistindo "Avatar - A Lenda de Aang" pela terceira vez, e alguns filmes. Um dia desses fui caminhar com uma amiga, e no fim de semana reencontro meus amigos de Jaboticabal, e tudo tem sido ótimo, tenho conhecido novas pessoas, e feito novas amizades. Espero que tudo continue assim até o fim das férias. Estou ansiosa pra recomeçar a correria e preocupação da faculdade, alias, minhas matérias desse próximo semestre serão muito interessantes.
 Hoje fiquei o dia todo sem entrar nas redes sociais, e pretendo continuar assim até amanhã. Ontem estava bem triste, então decidi ter um tempo de paz, só pra mim. Meus  Whatsapp está sinalizando 176 mensagens, e eu não sinto a menor vontade de ver nenhuma delas. Não estou me sentindo triste por algo especifico que tenha acontecido. É normal me sentir triste as vezes. 
 Esse fim de semana foi aniversário da minha cidade, e eu estava na festa as três noites do fim de semana. Foi tudo bem surpreendente. Algumas coisas assustadoras. Mas continuo viva! A maioria dos fins de semana tem sido bons. Sempre volto pra casa depois das cinco da manhã. Temos ido bastante a cidade dos crush's, Monte Alto, e os amigos que tenho conhecido lá são ótimos até agora.  Acho que me desprendi de varias pessoas, e agora estou aplicada em me desprender de varias coisas, e isso é bom.
 Sobre o que está faltando: preciso de mais espiritualidade, e paz interior. Não que eu não tenha, mas sinto uma necessidade maior disso. 
 Aqui na pensão tenho feito bastante amizade com as meninas, inclusive hoje, eu e uma outra vamos (tentar) fazer um chá de maracujá. Porém, ainda me sinto extremamente sozinha quanto estou aqui. É como se minha companhia não bastasse, e isso também precisa ser mudado.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Observações:


  • Sou uma pessoa completamento chorona. Choro por qualquer e todo motivo. Não acho que isso seja algo ruim, na verdade acho maravilhosa essa explosão de sentimentos, isso faz com que eu me sinta mais humana. e uma verdadeira pamonha. E quando eu me seguro ao máximo pra não chorar, é muito perceptível. O choro realmente é algo que eu não sei esconder, nem guardar pra depois. Quando falo que choro por todo e qualquer motivo, é real. Desde chorar por brigar com alguém que amo, até chorar porque minha irmã disse que meu cabelo é oleoso, ou porque alguém gritou comigo. 

  • Eu me sinto muito segura quando planejo as coisas e sigo roteiros que eu mesma criei. Mas eu adoro surpresas. Adoro quando aparece aquilo, ou aquele, que não estava nos meus planos.

  • Em dias de ansiedade sinto meu coração acelerado, como se eu estivesse correndo ou acabado de levar um susto. Isso acontece varias vezes durante o dia e tem dias que isso me preocupa de verdade,  pois parece que meu coração vai saltar pra fora do corpo de tão rápido que bate. Chego a me sentir sem ar. Minha ansiedade (nunca imaginei que eu teria ansiedade ou fosse uma pessoa tão ansiosa assim) também é perceptível externamente. Sempre que sofro por ela, trato logo de colocar qualquer coisa (dedo, unha, caneta, copo, celular) entre os dentes, pra ficar mordendo até sentir dor. 

  • Acho que tenho vários machucados na cabeça que são resultados da minha mania de ficar coçando a cabeça até ver sangue nas minhas unhas. As vezes acho que isso é preocupante.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

 Comecei a perceber como é real o fato de que toda vez que conhecemos alguém, dizemos que: "É ELE!". E então parei pra lembrar de todos os rapazes por quem eu já me apaixonei e achei que seria o amor da minha vida.

 1°- O amor de infância. Nos conhecemos no ensino fundamental, aquela época em que a gente começa sair da infância para entrar na adolescência. Nunca nos beijamos, apenas trocávamos olhares e cartinhas. Na verdade nunca  nos beijamos porque eu morria de medo de beijar ele, e ele vivia zombando de mim por isso. Enfim, era um sentimento bom, e eu já sonhava acordada com tudo aquilo.
 2°- O primeiro namoradinho, o primeiro beijo. Naquela época eu nem sabia o que tava sentindo, só sabia que beijar era ótimo,  e tudo aquilo era lindo. Achei que tivesse encontrado meu futuro namorado. Até que ele inventou uma desculpa pra que não ficássemos mais (levei um pé logo aos 13), e eu fiquei muuuito na bad. Minha primeira bad! Hoje nós somos amigos, e toda essa história é muito engraçada pra todos ao nosso redor.
 3°- Dessa vez eu realmente me sentia apaixonada! Esse eu tinha total certeza que seria o amor da minha vida. Ele era lindo (aos meus olhos), estiloso, e popular. Ele sempre me levava pra casa depois da escola. Nós quase não trocávamos uma palavra se quer, mas eu sentia meu peito pulando pra fora do corpo quando estávamos juntos. Até que o tempo foi passando eu descobri que tudo nem era tão lindo assim. Porém, depois de um bom tempo ainda nos reencontramos algumas vezes, mas eu realmente percebi que não, ele passava longe de ser o amor da minha vida! Hoje nem conversamos mais, e da ultima vez que tivemos oportunidade eu fui bem direta sobre o quanto não queria nenhum tipo de reaproximação aushuahsuahs sim, isso foi bem engraçado.
 4°- Meu primeiro namorado, real e oficial. Na verdade não era pra namorarmos. Tudo aconteceu bem rápido, e eu não fazia ideia do que estava fazendo, e nem do que estava acontecendo. Eu gostava muito dele, pelo menos eu acha que gostava. Ainda não pensava nesses papos de futuro nem nada parecido, até porque já era barra conseguir pensar naquela situação do presente. Mas enfim, eu ainda tinha 15 anos, e não sabia me conduzir, e muito menos conduzir um relacionamento, então quando olho pra trás só consigo enxergar  um emaranhado de novos sentimentos e situações embaraçosas. É claro que não aconteceram só coisas ruins, também agradeço por tudo que aprendi nesse relacionamento. Compreendo e agradeço também por não ter dado certo, todo aquele sofrimento me fez muito mal no começo, e no final fez muito mal pra ele. Hoje até tentamos manter uma relação de amizade por conta de nossos amigos em comum, mas não acho que seja uma relação saudável de se manter.
 5º- Não foi uma das minhas maiores paixões, porem, eu gostava dele. O que tornou diferente é que ele gostava bem mais de mim, do que eu dele. É outra pessoa por quem eu sou realmente agradecida por ter me proporcionado momentos lindos e insubstituíveis. Lamento por tê-lo magoado, mas não ia conseguir fingir nenhum tipo de sentimento que eu realmente não sentisse. Ainda lembro de todas as nossas conversas, e de todos os momentos (bons e ruins) que vivemos. Acho uma pena não termos mais contato, mas acho que foi bem melhor assim. 
 6°- Meu segundo namoro real e oficial. Eu lembro que tudo aconteceu tão rápido, que dá pra considerar uma completa loucura tudo o que fizemos e vivemos em tão pouco tempo. Namoramos em casa e, em questão de pessoas, fi cm quem eu criei um maior vinculo afetivo, pois chegamos a reunir nossas famílias, passar natal e ano novo juntos, e até ter uma vidinha de casados por poucos dias. Acho que por conta de todo esse envolvimento afetivo e emocional, dessa vez eu tava realmente certa sobre o que queria do lado de alguém. Durante todo o tempo em que ficamos juntos, tudo foi extremamente maravilhoso, nossa relação era incrível! Porém, nem tudo é como a gente quer, e no ultimo mês de namoro tivemos nossas primeiras e já ultimas brigas. Confesso que em termos de relacionamento, esse com toda certeza foi o que eu realmente sofri durante o termino.
 7°- Depois do segundo namoro eu não queria saber de relacionamentos então, encontrei a pessoa perfeita pra viver isso comigo. Nunca envolvemos muito sentimento entre nós, mas todas as vezes em que estivemos juntos ele foi uma pessoa bem firmeza. Na verdade nossa relação era mais casual, e dar rolês. E nossas conversas (conversamos de vez em quando), são bem cabeças. Sempre conversamos sobre a vida, sobre trabalho, profissões, sobre dias difíceis e como leva-los. Ele é uma pessoa da qual eu gosto e considero bastante. É, alguns acabam virando boas amizades.
 8°- É mais fácil falar de situações antigas ao invés das recentes, mas enfim. Em questões de sentimentos esse foi o ultimo em que rolou alguma coisa. Acho que nada tão devastador e maravilhoso, mas era bom. Na verdade era muito bom, qualquer coisa que envolva sentimento pra mim, é algo bom. Foi uma relação aberta, e eu me surpreendi com isso, pois achava que nunca ia conseguir fazer isso, mesmo sendo por tão pouco tempo. Não tínhamos nenhum tipo de compromisso, e pela primeira vez eu não estava tão preocupada com isso. Ele me deixou muitas lembranças, e a maioria delas são maravilhosas. Não dá pra lembrar de alguns lugares, palavras e musicas sem lembrar dele. Tudo maravilhoso né? Claro que não!! Nunca conhecemos totalmente uma pessoa, e quando conhecemos alguma coisa, isso muda rapidamente. Eu compreendo perfeitamente que as pessoas mudam constantemente, é um processo natural do ser humano. Brigamos algumas vezes, e em todas elas, depois da raiva eu me sentia triste e preocupada. Mas devagar fui percebendo que nem tudo vale apena manter por perto (pode ser que eu também mude de ideia). Mas também agradeço por cada momento que passamos juntos, são insubstituíveis e, muito importantes.
 9°-  Essa pessoa não tem muitos motivos pra estar nessa lista, mas as poucas vezes em que estivemos juntos eu também agradeço. Apesar do pouquíssimo contato, é uma pessoa legal, que eu gostava muito de ter por perto. E eu super considero como uma "paixãozinha".
 10°- Essas paixões passageiras chegam a ser engraçadas. Nós nos conhecemos bem rápido, e se tratando de loucura, em todas as vezes que estivemos juntos ela estava junto de nós. Dessa vez eu já não me importava com quase nada. Mas por mais que eu siga o lema "só vamo", eu sempre dou um jeitinho de meter uma gota de sentimento em tudo, em um abraço ou carinho qualquer. E acho que posso ter desperdiçado mais algumas gotas com esse. Ah! Que mal faz?! Eu até faria isso outra vez. No final sempre ficam as lembranças dos melhores momentos.

 Com o tempo esse negocio de sentimento e pessoa perfeita vai sendo deixado de lado, e posso dizer que depois do meu segundo namoro eu passei a fazer mais a minha vontade, guardar o sentimento pra coisas realmente importantes, e principalmente saber parar quando quiser parar. O engraçado é olhar pra trás e ver que isso não acaba aqui. Ainda aparecerão pessoas e pessoas que vão entrar e talvez sair da minha vida sem intenções, sem que eu espere...
"Menino me dê sua mão 
Sempre me teve aqui
Mas se não quiser ficar aqui comigo então pode ir,
Tu sabe que o mundo é cheio de voltas
E eu sempre fui só confusão 
Vem senta e toma um chá 
Mas se não quiser,
Que o tempo mostre sua direção. 

Se eu soubesse que era assim
Eu nem te ouvia
Beberia um champanhe 
Um vinho já bastaria
Mas tive que parar pra poder te escutar
Pra poder te dizer meu amor
Que não dá pra ser mais tua...

E eu posso te dizer bem perto
Olhando dentro dos seus olhos
Você não foi sincero 
E, a vida que eu levo é sinceridade 
Óbvio,
que nunca te quis tão longe de mim
Mas claro que você não estava nem aí pra mim
Então, eu sacrifiquei algo tão forte assim
Esse teu universo
Juro que entendo o seu mundo.

Minha cabeça gira quando olho pra trás 
Cabeça gira, mente gira quando olho pra trás 
O amor é bandeira de paz
Cê ta ligado que eu sempre me mantive em pé 
Vivo procurando encontrar e entender
Menino siga que eu também vou seguir sem você 
Eu tentei eu fiz de tudo pra não chorar outra vez
Eu falei pra mim mesmo enquanto eu tentava outra vez.

Se for embora vai pela manhã,
Eu não quero ver tudo isso outra vez
Cê sabe que o melhor momento de você ficar
É quando ter certeza que quer tentar outra vez.
Se for tentar me acorda de manhã 
Vê se fica aqui e toma um café 
Cê sabe que o melhor começo chega de manhã.

Ei amor, cê sabe que é difícil sem você amor
Mas se não quiser ficar também é sem caô
Eu só queria tanto te falar...

Ei amor e eu que nunca tive nada te dei tanto amor
Então se tu vier tu fica por favor
Tá na hora da gente se encontrar.

Vamos tentar, vem cá 
Distante um do outro nada vai funcionar 
O que temos é tão lindo pra isso acabar
Não existe consequências se você me amar.

(...)"


Emmilly Félix

domingo, 18 de junho de 2017

 Eu tenho a impressão de que com as férias vou conseguir escrever mais. Ao meu ver isso não é algo tão bom porque significa que eu não vou ter quase nada pra fazer nesse período, e isso me causa uma angustia enorme. É horrível saber que não vou ter aula, nem tanto contato com as amigas da faculdade, e ainda não vou poder ir pra casa por ter que trabalhar. É, ainda não superei aquele assunto de me sentir sozinha.
 Mas agora falando de superações, tenho adorado minhas ultimas semanas. Consegui fechar em todas as matérias com sucesso. Meu relatório de estagio que deve ser entregue amanhã foi terminado hoje as 21 horas e alguns minutos, mas o importante é que deu tudo certo! Meu estagio na instituição de atendimento infantil terminou semana retrasada, mas a psicologa autorizou que eu e minha dupla comparecêssemos no próximo acompanhamento. Nós nos envolvemos muito com isso, e é muito doloroso saber que não podemos continuar. Concluindo, a vida acadêmica tá mara, a profissional também. 
 Algo que tem me afeto nessas ultimas semanas é a questão da saúde. Desde quando me mudei tenho uma péssima alimentação e uma rotina muito corrida, e isso fez com que minha imunidade se jogasse lá em baixo. Consequentemente, estou descobrindo alguns problemas que a baixa imanidade me causou. Mas acredito que com a calma das férias, as consultas médicas, exames e medicações vai ficar tudo bem. Eu juro que vou me esforçar pra isso. Na real, nunca esculachei tanto com minha saúde como dessa vez. Em breve pretendo escrever que minha saúde está ótima e que nada sério aconteceu.
 Agora tenho que ir dormir (ficar sem dormir, ou dormir poucas horas faz muito mal. Experiencia própria aushauhsuahs), mas antes vou tomar um banho e arrumar toda bagunça que deixe espalhada pelos cômodos da casa.
 Boa noite, hoje estou passando por aqui especialmente pra contar sobre alguém que, em poucas vezes fez com que sua presença se tornasse significativa, de algum modo.
 A noite em que te conheci acabou se tornando inesquecível, não porque te conheci, mas sim porque era uma festa onde aconteceria o show mais importante do ano, pra mim. Então não achei que te conhecer naquela noite foi algo tão importante, na verdade meu foco passava longe de você. Enfim, depois disso nos encontramos uma outra vez, e por mais que eu tenha gostado, ainda não achava tão relevante atribuir algum significado pra você na minha vida.
 Então, tudo que teve maior relevância começou exatamente na época do carnaval. E que Carnaval!  Eu que nunca gostei desse tipo de evento adorei a primeira vez, e sempre agradeço por tudo o que aconteceu nesse período. Você fez com que eu me sentisse especialmente única, em uma festa/época onde ser solteiro é a melhor opção. Não que não estivéssemos solteiros (ainda estamos), mas suas atitudes demonstravam exatamente um tipo de atenção que eu achava especial. E então fluiu. A primeira vez em que fui pra sua casa, estava crente de que não voltaria. Mas voltei. Nosso carnaval durou um curto período de tempo, porém foi o suficiente pra dizer que foram momentos significativos. 
 Depois disso, confesso que esperava mais de você, mas sinto que compreendo os motivos de cada comportamento seu quando começamos a nos ver diariamente. Eu mesma evito/evitava passar perto de você, pra não ter que dizer "oi". Inúmeras vezes desviei caminhos e fingi não te ver, assim como apagar seu telefone, e ocultar sua publicações nas redes sociais, isso costuma ser meu método de defesa pra evitar maiores frustrações ou algum tipo de reaproximação. 
 Na ultima vez que nos encontramos "por acaso", não imaginei que algo poderia acontecer, na verdade eu nem tinha mais interesse nenhum (meus métodos funcionam uahsuahs). E então de uma conversa, situações inesperadas (pelo menos pra mim) aconteceram, e mais uma vez estávamos praticando a arte da loucura juntos. Eu me considero bem louca, porém acho que sou consciente, já você eu considero louco e inconsequente. E não é que isso seja algo admirável (pois não é mesmo), mas consigo ver que além disso existe alguém que talvez precise de um pouco de apoio e direção, e como qualquer outra pessoa você também tem seus lados bons. 
Sinto uma pena por não poder contar tudo o que vivemos, e por não expressar tudo o que senti, mas acho que talvez seria perda de tempo dar tanta enfase em você. Não quero dizer que eu não gostaria de fazer isso, na verdade eu gostaria muito, mas não sei se seria tão válido expressar tudo isso.
 Quanto ao futuro, continuo não esperando tantas coisas de você. Não queria ter que acreditar e nem criar esperanças com as ultimas coisas que ouvi da sua boca. Mas como nessa terra só a tentação e a esperança são imortais, escondo minha esperança dizendo que só acredito em você quando ver tudo acontecendo. E por mais que esse textinho pareça tão insignificante, hoje posso dizer que você tem um grande significado, embora eu prefira que você não saiba disso.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Porra, toda vez eu digo que vou voltar a escrever com frequência, mas nunca consigo cumprir. Não tem problema, o importante é que eu escreva, pois além de ser um passatempo, virou uma necessidade pessoal. 
Minha vida tem sido (finalmente) uma vida de adulto e com muita correria, mal tenho tido tempo pra viver meus dramas e ficar chorando. E isso é ótimo!
Minhas semanas tem se resumido em: faculdade, resumir, estudar, estagiar, fazer relatórios, trabalhar, ter uma péssima alimentação, dormir no máximo 5 horas, etc., mas eu sou grata por cada minuto em que pude me ocupar com essas tarefas.
Semana passada foi meu primeiro dia no estagio de observação e entrevista, passei três horas em uma instituição de acompanhamento psicológico infantil, onde tive contato com crianças já diagnosticadas, que por sinal são maravilhosas, e finalmente consegui achar uma motivação espetacular pra continuar seguindo esse caminho. É muito gratificante perceber que estamos no caminho certo, e que o que escolhemos é realmente aquilo que queremos mais que qualquer outra coisa. 
Tirando as provas que ainda estão por vir, minha vida acadêmica tem sido ótima. Eu sei realmente que estou no caminho certo, e espero que isso me resulte em uma vida profissional compensadora. 
Eu gostaria de fazer estagio todos os dias da semana, mas infelizmente esse primeiro serão poucos dias e logo vai terminar.
Ontem fiz a primeira prova do segundo bimestre, e espero que eu vá tão bem nas próximas quanto fui nessa.
Mudando de assunto, ainda tem acontecido algumas coisas bem estranhas e desafiadoras na minha vidinha, algumas até vale a pena contar, outras a gente prefere até esquecer. Eu juro (outra porra de vez) que logo volto pra contar. Logo as férias chegam e não vou ter muito o que fazer, se não conseguir um trabalho voluntário que estou tentando, então terei tempo de sobra pra escrever aqui.
Antes de ir eu só queria dar ênfase em um som que minha irmã me mostrou, e eu tô curtindo ele essa semana: Bilhete 2.0 - Rashid (pat. Lucas Carlos). Eu nem curto tanto assim Rashid, mas esse sonzin é uma delicia de frustração


"Eu te dei amor e um canto no meu coração
Mas todo esse encanto não muda a situação
Pensando o que que iria ser daqui pra frente
Não sei se perdemo tempo ou se o tempo se perdeu entre a gente.

Pior, que engraçado
Achei que ia ser pra sempre e vi que eu sempre tive enganado
Então faz favor não esquece seu orgulho
Qué ir embora pode ir, mas devolve meus bagulho"

sábado, 6 de maio de 2017

 Tenho crises existências (se é que posso chamar assim) no mínimo uma vez por semana desde quando me mudei. Eu já deveria ter me acostumado com esses sintomas, porém cada vez que acontece, chega de uma forma diferente, em um contexto diferente, e isso faz com que cada vez seja inesperada. São só dias ruins, especificamente falando. Mas não são SÓ dias ruins.
 São dias em que não consigo me olhar no espelho porque imagino o quão horrível minha aparência está. São dias que não faço questão de escolher com cautela minhas roupas pra sair, trabalhar e estudar. As primeiras que aparecerem já estão de bom tamanho.
 São nesses dias que me sinto distante do mundo e das pessoas, como se não conhecesse ninguem desse planeta.
 São dias em que é ruim quando a luz do sol atravessa a janela, pois a vontade é de ficar na cama o dia todo, sem som, sem luz, sem ação.
 São os dias mais frágeis, em que normalmente fico sem paciência, sem alegria e sem amor.
 Mas são dias passageiros.
São dias que duram pequenas eternidades, e logo se acabam pra que os dias melhores cheguem e façam seu papel, e então a vontade de ver a luz entrando pela janela volta.
 Essa semana eu estava no trabalho, como qualquer outro dia normal, nada de espetacular. Mas me interessei muito por um conselho que recebi da minha superior.
 Ela disse o seguinte: "Rafaela, fique com uma pessoa boa, que possa te proporcionar um futuro bom. Mesmo que você não ame tanto assim essa pessoa, fique com ela. Amor vem e vai com o tempo. Não fique com alguém que você ame muito, mas que não vai colaborar com seu futuro."
 Confesso que isso me deixou interessada e muito confusa. Como eu poderia seguir um conselho desses?! Logo eu que sou repleta de sentimentos e sempre os coloco em primeiro lugar. Mas será que seria realmente possível aprender a amar uma pessoa que lhe traga coisas boas?
 Sinceramente eu não to afim de arriscar alguma dessas opções pra descobrir isso agora. Mas a muito o que ser pensado a respeito, e eu não descarto a ideia de querer gostar de alguém que me traga coisas boas, ao invés de gostar de alguém que não me proporcione nada.


Fazia um tempinho que eu não aparecia por aqui. Mas é porque estava colocando algumas coisas em ordem.
Melhorei bastante nas ultimas semanas, por maior que seja a saudade e a dificuldade, estou bem feliz de conseguir chegar aqui, e continuar conseguindo.
Vou voltar a dizer que minha família é maravilhosa. Eu não conheço alguma outra família que seja tão espetacular quanto a minha. Mesmo que não tenhamos tudo, sempre damos tudo o que temos, um para o outro. Mesmo de longe eles se fazem presentes, me ajudam até onde não deveriam. E quando estou lá perto, não dá vontade de voltar pra cá. Eu continuo agradecendo todos os dias por isso.
Na faculdade tudo está indo muito bem. A semana de provas foi tensa e horrível, mas tudo foi compensado. Nesse bimestre foram quatro notas 10. E eu me sinto muito agradecida por isso. Eu adoro o que estudo, cada matéria, cada dia mostra algo novo sobre o ser humano e seu dom de se comportar. Espero que minhas notas continuem assim.
Quanto ao trabalho, tem ido tudo bem também. Eu gosto de lá. Ainda não tive problemas com ninguém. Nas ultimas semanas eu estava trabalhando muito por conta das rescisões, e então chegava em casa tarde todos os dias. Mas isso me trouxe benefícios, ontem foi minha primeira folga, e foi bem útil. Esse fim de semana não vou pra casa, e isso me fere direta e intensamente. Minha imunidade, paciência e auto-controle diminuem bastante. Mas tenho alguns trabalhos pra fazer, e tomara que passe bem rápido esses dois dias. Não vejo a hora de ir pra casa.

terça-feira, 25 de abril de 2017

"A loucura dela

Bom não querer notícias minhas
Porque hoje eu to presente
Amanhã, advinha
Dou linha

Não queira as promessas minhas
Que quando vou
Não voltarei tipo As Andorinhas

E vem com as mesmas conversinhas
Ela pensa que vou abraçar
Mas o crédito ali não tinha
E eu que venho com as ladainha
Desse xadrez eu to de boa
É o jogo da rainha

Eu quero entrar, ce me deixa la fora
Ela não quer adimitir que nois juntin é daora
Fico surpreso com a rapidez das hora
E do teu calor eu ja não quero mais ir embora

Ce ja devia ter pegado o jeito, nega
Que sair fora é o mecanismo de defesa
Mas se eu te falo é tapa e arranhão nas costa
E tuas palavras me faz me sentir um bosta

É foda que daquela noite eu lembro
A foda que eternizou o momento
Uma coisa que envernizou com o vento
Uma fita que me infernizou com o tempo

Minha droga é o teu corpo
Me dê uma dose todo dia, que é melhor que ficar torto
Eu te chupando de um quarto ao outro
Você pedindo pra eu chupar de novo
Só um pouco

O fia, me dói ter que vazar
Por isso memo eu ja nem vou chegar
Vc aqui perto é o mundo nas minhas costas
Até parece que é de dor que gosta

Refrão:
Ela virou minha loucura
E eu sou a briza dela
Se eu não me cuidar ela me fura
E eu entro no jogo dela
Ela virou minha loucura
Mas eu tenho o pé atrás com ela
Ela trata como disputa
Por isso eu to correndo dela

Ja disse: foi a pior aposta
Ao memo tempo é minha melhor aposta
Se nois quiser as mema coisa, encosta
Mas se não for eu quero que nem olha

Eu to querendo que o tempo me mostre
Se to sendo burro ou esperto
Mas a burrice aqui não engole
E a esperteza é ficar longe ou perto?

Que cada um fique na sua memo
Amor demais as vez é bom mas as vez é veneno
E eu to que nem o jaiminho carteiro
Evito todas as fadigas
Por isso que eu vou ficar solteiro

Só que aquele cabelo ...
Eu sei que anda pedindo minhas mãos
Me fode até no cerebelo
E eu não me importo com a contradição

Que nos guardemos em potes com furos
Pra que não perca a respiração
Só que eu te guardo é pra colher os frutos
E você me tranca dentro do porão

Só nossos rolé batendo eu acho que é mais fácil
É que nesses ambiente eu fico mt ágil
Eu fujo da tua garra e do veneno ácido
Eu nunca vou admitir que fico frágil

Lembrei do cara que a gente trombou naquela praça
O mano até nos deu a benção, e ce achou mó graça
Depois ce vem com aquelas merda e as pirraça
Como se fosse minha a culpa da trapaça

Talvez o nosso amor seja como colar na praça
E se os verme brota nois tem que fugir
No meu caso é a minha vulnerabilidade
Por isso memo que o pai vai partir

Falou."

C•B

Eu juro que já entendi e já aceitei que nada foi como eu queria. Mas eu preciso falar sobre isso, e não costumo falar sobre você com outras pessoas, somente comigo mesma, e por isso estou aqui. E também porque eu acho esse sofrer tão inspirador, por mais triste que ele seja.
É engraçado como as coisas acontecem e deixam de acontecer.
Na verdade quando deixam de acontecer é triste, porém, as vezes é preciso.
Eu ainda leio as letras que você me escreveu (E alias, penso que deveria ter pedido autorização pra publicar essa. Mas se tudo der errado logo o texto é apagado. Não pretendo ir pra cadeia aos 20 anos de idade). 
E apesar de não sorrir enquanto as leio, eu ainda gosto delas. 
Talvez eu ainda pense em você, só que não como pensava antes.
Eu não parei de falar com você por você ser uma ameaça (você tava bem longe de ameaçar alguma coisa na minha vida), ou por descontrole emocional. Eu parei somente pra evitar as mentiras que você dizia a si mesmo, e a mim.
Me arrependo sim de ter trocado palavras horríveis com você, como se fossem laços de arame farpado. 
Machucou!
Minha intenção nunca foi apontar seus defeitos e nem te julgar. Afinal eu conheci alguns de seus piores lados, e isso nunca foi motivo pra que eu me afastasse.
Não vou me esquecer dos momentos juntos, porém não vou mais sorrir quando me lembrar deles.
Esse foi meu ultimo texto sobre você.
Felicidades.

quarta-feira, 29 de março de 2017

(...)
Porque quando a gente briga, me da uma vontade enorme de voltar correndo e dizer o que eu sinto.
E de pular no seu colo, me jogar nos seus braços, e fazer as pazes de uma forma com que meu corpo fique colado no seu, e faça com que nós nos esquecemos do motivo da briga.
Mas então eu apenas olho sua mensagem, bloqueio o celular e tento me conformar que, você nunca vai me dar o que eu espero, e talvez você já tenha encontrado tudo o que precisa em uma outra pessoa.
E por mais que eu goste de você, não significa que tambem goste de sofrer, e nem de implorar atenção, e se te conheço bem, você tambem não.
Sempre que ouço Marcello Gugu lembro da forma boa como você me apresentou, mas tambem lembro de como nossa relação sempre foi parecida com suas letras, pricipalmente aquela que diz: 

"Nossa transa é loucura, coisa de pele
Deixamos marcas de amor em lençóis do IML

(...)

A gente junto estupidez, acabou o encanto
Nossos mimos e carinhos se transformaram em quebranto

Cada um pro seu canto e hoje eu me pergunto a esmo
Nos livrai-nos do mal, seria nos livrai-nos de nós mesmos!??"

E mesmo que nos afastamos ou nos reaproximamos quantas vezes for possivel, sempre vou considerar que "A esperança é quem apaga a luz do salão depois de varrê-lo.
Daqui, as luzes ainda estão acesas, e por tudo que a gente viveu, acho que a gente ainda merece uma dança. (Ajami)"

sábado, 4 de março de 2017

Amanhã completa uma semana que estou longe de casa e, esses últimos dias eu não estou conseguindo lidar muito bem com isso. Meu peito fica tão apertado que, quando percebo meus olhos já estão cheios de água. Estou realmente sentindo falta da minha família. Minha casa sempre é muito agitada, nós conversávamos e brincávamos o dia todo, e aqui eu mal tenho alguém pra conversar, ou pra me fazer companhia. É, eu tenho me sentido bem sozinha, coisa que eu odeio. Pra ajudar, mal tenho voz por conta da tosse e dor de garganta que estou. Mas sei que semana que vem vou poder ver minha família e matar um pouco da saudade, só preciso esperar mais alguns dias, sei que vai passar rápido. Parece até drama, parece que fui morar em outro país, mas é que eu sempre fui muito apegada a minha família, eu nunca passei um dia sem falar com cada um lá em casa, e na real ta sendo bem ruim sim.
Algo tem me ajudado muito são alguns amigos daqui, em especial uma amiga maravilhosa que me conforta e me ajuda em tudo que preciso. Agradeço a Deus por ter colocado esse tipo de pessoa no meu caminho. Fica um pouco mais fácil quando a gente pode contar com outras energias além da nossa.

quarta-feira, 1 de março de 2017

 Quanto tempo faz que não passo por aqui hein!Tenho tanta coisa nova pra contar, que nem sei por onde começar. Bom, vamos lá.
 Pra começar então, eu mudei de cidade! É, mudei, e sem meus pais. Isso é algo que estava completamente fora dos meus planos, eu nunca me imaginaria fora de casa aos 20 aninhos de idade. Agora eu moro em uma casa com mais três meninas (em breve mais quatro), e ainda bem que uma delas é uma pessoa maravilhosa que eu já havia conhecido no trabalho, e nossa relação está sendo ótima. As outras duas meninas eu quase nem vejo, conversei apenas uma vez com cada uma delas. A proprietária da "pensão" mora na casa da frente, no mesmo quintal, e embora ela seja um amorzão de senhora, as vezes ela é meio (bem) invasiva, mas parece que dá pra dar uma relevada nisso. 
 Nesses três dias que eu estou aqui, já tenho uma saudade enorme de casa, e das minhas irmãs, e da comida principalmente! Vou voltar pra casa apenas em alguns finais de semana, porque pretendo estudar, e gastar pouca grana. Falando em gastar grana, recebi dois convites para ser madrinha de casamento. Tipo, DOIS DE UMA VEZ MANO! E eu nunca fui nessas paradas de ser madrinha, então tô meio perdida, e vou ter que ir atras de vestido, o que me deixa extremamente ansiosa e nervosa. Enfim, é claro que eu não ia recusar os convites né! Na verdade não vejo a hora de acontecer logo hahaha
 Mudando um pouco de assunto, tenho notado o quanto algumas pessoas são confusas e nos causam confusão. As vezes a gente acha que fulano sai da nossa vida e nunca mais vai aparecer, e do nada fulano volta com mil historinhas de passado e várias idéias do presente. Isso chega até a me assustar um pouco, porém, eu tô cabreira demais com esses lances de pessoas. Eu até escrevi um texto da ultima vez dizendo que queria parar com algumas coisas, mas nossa, acontece umas fita tão loca na minha vida, que eu fico meio perdida e penso: "Só vamooos" hahaha. Tem coisa que não dá pra deixar de viver, mas isso não significa que eu não fique com um pézinho atrás, eu sempre fico. As vezes eu tenho pessoas quem vem só pra trazer diversão, outras vezes eu tenho noites como se eu tivesse em um relacionamento sério, acaba ficando difícil saber quem não, e quem sim. Mas as coisas acontecem porque têm que acontecer, então a gente só vive, pra ver o que acontece. Não tenho me sentido completamente carente, até porque esse carnaval foi maravilhoso, eu nunca tinha frequentado, e achei que não ia ser tão bom, porém existem pessoas que deixam tudo um pouquinho melhor né hahaha. Só tenho a agradecer pelos momentos.
 Agora que eu não vou ter tanta coisa pra fazer, juro que pretendo escrever mais, e preciso estudar mais também. Foram quatro dias de feriado, de puro rolê e preguiça, mas agora vão começar os corres, e a vidinha real né. 
Eu volto.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Quanto tempo! Achei que nunca mais teria tempo para escrever outra vez hahaha 
Minha vida tem sido mais corrida e cansativa que nunca. Eu viajo quatro vezes por dia, só volto pra casa para tomar banho, jantar e dormir, mas mesmo assim ela tem sido cada vez mais incrível. Tenho alguns planos de ir morar fora, e, estou torcendo muito para que eles deem certo. 
A faculdade começou a uma semana, e eu já tenho horrores de textos para ler, estudar e fazer resumos. E agora os meus finais de semana estão reservados somente pra isso. Vou sentir falta de sair bastante como saia normalmente, mas sei que meu esforço me trará prazeres bem maiores. 
Falando em prazer, preciso rever alguns conceitos da minha vida como por exemplo, transar casualmente. Sim, é ótimo! Eu tenho o que quero, e depois não vai ter alguém ocupando minha mente o tempo todo, e nem me pedindo satisfações, ou brigando por motivos toscos. Porém, mesmo que seja casual, acho que não consigo continuar fazendo isso sem ter no minimo um vinculo afetivo com a pessoa. Eu sempre fui de me importar, de conversar, de querer estar por perto. Não quero mais ter relações e depois de uma semana não trocar se quer uma palavra com a pessoa. Eu sei que tem o lado bom, e o lado ruim de tudo isso, mas eu sempre fui alguém que transborda sentimentos, e que sempre sente muito, e o que eu tenho feito não tem correspondido a quem eu realmente sou. Como diz o Marcello Gugu em uma música que eu gosto muito, "A noite ensinou que companhias não são companheiros", e mesmo que eu não procure um relacionamento sério agora, eu prefiro ter companheiros ao invés de somente companhias. Acredito que essa ideia pode afastar algumas pessoas, que por sinal eu queria que se aproximassem, mas é preciso perder algumas coisas quando temos que seguir nossos ideias. 
Semana passada rolou o Encontro das Tribos, e eu nunca me arrependo de ir. É uma vibe maravilhosa, principalmente pelas atrações, o publico, o local, tudo. O reggae me transmite sempre o melhor, e quando vou pra um lugar assim parece que transborda paz e amor de todos os lados. Só tenho a agradecer por esse dia maravilhoso. 
Também só tenho a agradecer por todos os outros dias da minha vida, inclusive os mais difíceis. Agradeço muito por ter a família que tenho, e por ter os amigos que tenho. Parece que Deus escolheu as melhores pessoas para estarem perto de mim. 
Peço a Deus que tudo continue dando certo, e que Ele me de uma forcinha nesses novos planos. Peço também pra proteger as pessoas ao meu redor.
Eu me sinto melhor escrevendo, e agora com essa falta de tempo, é como se eu tivesse uma forma de conversar sobre tudo enquanto estou no ônibus, ou em qualquer outro lugar. 
Vou tentar escrever mais, mesmo nessa correria. 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Boa noite, estou passando pra contar um pouco sobre Capitólio, esse lugar maravilhoso no fundo da foto. Um dos poucos lugares onde a gente não precisa fazer esforço nenhum pra se sentir em paz. As águas são claras e calmas, e acima delas a paisagem é magnifica. É um daqueles lugares que deixa a gente mais leve, com mais gratidão e felicidade. 
Viajar é algo maravilhoso, e eu pretendo fazer muito isso, não vejo a hora de escolher o próximo destino. 
Assim como no dia da foto, meus dias estão sendo tranquilos também. Tenho conhecido pessoas novas, e ficado mais perto das pessoas antigas. No (novo) trabalho tudo tem ido bem também, eu até tava sentindo falta dessa correria. Falando em correria, não vejo a hora de começar as aulas, to morrendo de saudade da faculdade, dos amigos e tudo mais. Tenho saudade até de passar alguns fins de semanas estudando hahaha, pois é, eu juro!  A faculdade me fez uma pessoa melhor, e embora seja cansativo e trabalhoso, estudar Psicologia é um prazer. 
Em breve volto aqui pra falar um pouco de sentimento, to sentindo falta de falar sobre isso, e sobre algumas outras coisas também.
Até logo ♥

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Olá
 Estou passando somente pra contar que coisas ótimas tem acontecido por aqui e também preciso dar uma reforçada sobre querer estar distante de pessoas "ruins". Então vou começar pelas pessoas, sabe aquele assunto de 8 ou 80? Então! Eu não quero ter por perto pessoas que não trazem boas energias, e nem que sejam meio termo. Minha vida já ta cheia de pessoas meios termos. Eu sempre sou tão clara sobre o quanto não gosto de falsidade, e parece que ultimamente ela tem se aproximado tanto. Mas eu não vou deixar que isso aconteça. Não é de hoje que aprendi a não ter tanta dependência emocional pra me sentir bem, e eu adoro reforçar isso. Já sou madura o suficiente pra saber quando me afastar de pessoas e situações que ameaçam minha paz, minha autoestima, meu respeito e valores. Não é querendo desmerecer, mas né, tem gente que parece que gosta de aparecer só pra fazer uma média. Que vá à merda, a pessoa, os teatrinhos, a média, e tudo mais! Eu tenho tantas outras coisas pra poder me apegar e me preocupar agora. 
 Falando nessas outras coisas, eu começo a trabalhar amanhã (graças a Deus, porque não aguentava mais ficar atoa), e acho que tô pronta pra recomeçar a aprender e socializar outra vez. Já faz tanto tempo que eu não convivo em um ambiente empresarial, que dá aquele friozinho na barriga só de pensar em como vai ser. Mas estou concentrando todas as minhas energias nisso, e acredito que tudo dá certo quando nós realmente queremos. 
 Eu nem tinha feito planos pra 2017, porém tem varias coisas acontecendo, que estão modificando minha vida. Isso é bom, claro! Esse ano está começando de uma maneira ótima, e que assim continue até que ele termine. 
 Domingo de madrugada vou pra Capitólio, e estou mega ansiosa porque lá é um lugar maravilhoso, fico imaginando a paz que vou sentir quando estiver em cima daquelas pedras enormes, olhando pras cachoeiras lá em baixo. Vai ser lindo!
 Vou tentar voltar aqui antes de domingo, ou não. Tenho outras coisas pra escrever, então talvez eu volte antes. 
 Até lá quero que tudo continue em sintonia, como está agora. Estou enormemente grata por tudo que anda acontecendo

domingo, 15 de janeiro de 2017

Olá, tô passando pra contar um pouco sobre a noite sensacional que tive ontem. A intenção era ir na festa, e ver o Gabriel Elias (lindo ♥) de longe, porque fomos de pista, e o camarote ficava todinho na frente do palco. Quando cheguei fiquei tão tristinha, logo pensei "Droga, se soubesse teria comprado a porra do camarote!".
Mas,
a vida é maravilhosa, as pessoas são maravilhosas, é tudo maravilhoso! 
Assisti o show todo bem na frente do palco, de cara com o Gabriel Elias. E o melhor, quando terminou o show, consegui que me levassem onde ele tava. Quase morri do cooore. Que pessoa mais linda e gostosa desse mundo!
Foi incrível!
Além de tudo isso (que foi a melhor parte), conheci uma pessoinha apaixonante. 
Só tenho que agradecer pela noite maravilhosa, e por todas as pessoas que estavam ao meu redor. 
Foi lindo ♥
(...)
É o meu travesseiro
O meu ponto de paz
No mundo inteiro
Quem me faz rir a toa
O dono da vibe mais boa que tem
Meu amuleto da sorte
Que só me atrai o bem
Vem lá, o céu o teu sorriso e seu bem sei
()

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Vim pra escrever sobre saudade. Mas não é uma saudade qualquer. Na verdade eu nem sei se dá pra dizer que é saudade, pois é algo gostoso de lembrar, mas eu não sinto falta. Acho que seria melhor dizer que vou falar sobre lembranças então!
Eu tenho tido algumas lembranças do meu ultimo relacionamento. Lembranças boas. Como do quanto eu me sentia conectada espiritualmente e mentalmente com outra pessoa, e de como foram gostosas as coisas que passamos juntos. Era um sentimento bem forte, e bem bonito. Quero deixar bem claro que não sinto falta, eu só gosto dessas lembranças. 
Acredito que não é porque não deu certo, que tenha sido algo tão ruim, e acredito também que não deu certo porque a vida reservou caminhos diferentes, e se tivéssemos seguido pelo mesmo caminho, talvez teríamos nos machucado ainda mais.
Voltando para as lembranças:
Me lembro de como me sentia confortável por estar perto de alguém que me fazia bem. Lembro de algumas situações também, como aquele feriado de Pascoa em que toda a minha família foi viajar, e nós vivemos alguns dias de casados, que por sinal foram bons. Lembro das conversas que tínhamos, sobre variados assuntos e variadas pessoas. Lembro da visita ao pequeno shopping de Bebedouro, onde conseguimos pegar ursinhos naquelas maquinas complicadas. 
Quem ler esse tipo de texto vai criar a convicta certeza de que eu sinto falta ou ainda amo a mesma pessoa. Mas não, é que só agora eu me sinto segura ao ter essas lembranças, principalmente por saber que elas não me machucam mais, e eu me sinto bem por saber reconhecer os momentos bacanas que eu tive na vida. E por mais que Ex seja passado, é um passado que foi extremamente necessário para que eu chegasse nesse presente, que eu gosto tanto. 
Eu agradeço por ter acontecido, agradeço por todos os momentos, e também agradeço por não ter dado certo, pois hoje nós dois estamos exatamente onde deveríamos estar.